Japão

12 03 2011

Antes de começar a escrever este post, quero deixar avisado que eu e o Luiz estamos bem. A todos que estão preocupados com a situação aqui, fiquem tranquilos que o pior já passou e tudo parace estar se acalmando.

Dia 28/02 eu e o Luiz França emabarcamos para o Japão para fazermos shows de comédia stand-up para a comunidade brasileira.

Assim que chegamos, fomos recebidos por um frio e encontramos no aeroporto o Japinha do CPM-22. Eu ainda não conhecia o Japinha e o cara é gente fina. Pegamos uma balada em Tóquio e o cara é sangue bom.

Fizemos um show em Fukui que foi nem legal. Lá o frio estava maior ainda, rolou até neve. Aproveitamos para ir até uma estação de esqui para fazer um snowboard. Foi bem legal mas é difícil demais ficar em pé naquilo. Pra quem nunca fez snowboard posso adiantar que o problema não é cair mas sim levantar.

Tudo estava indo tão bem aqui quando fomos surpreendidos por um terremoto de 8.8. Foi o maior desastre que já aconteceu no Japão. Na hora do terremoto eu, Luiz e o Léo Hirai estavamos numa clínica de massagem. Estávamos os três deitados na maca quando começou a rolar os tremores. Começou devagar, tanto é que nem me liguei que era um terremoto. Parecia mais tremor de uma estação de trem próxima ou um metrô. De repente, o tremor foi aumentando e tudo começou a sair do lugar, os móveis começaram a cair e eu fiquei realmente preocupado quando vi os japoneses com cara de assustados. Não tiha uma japonês com olho puxado, todos estavam de olhos arregalados. E a mesma coisa que você estar num avião e ver a aeromoça com medo. Saimos correndo pra fora da clínica e parecia que a qualquer momento aquele prédio ia desabar. Quando estava na escada, aquilo ia de um lado pro outro que mal dava pra ficar em pé. Os carros pulavam, as pessoas corriam e todos esperavam aquilo passar. Mas não passava. Durou muito tempo. Geralmente um terremoto normal dura uns 3 ou 4 seg mas esse durou mais de 5 minutos. É tempo demais. Depois vieram mais uns 5 ou 6 tremores na mesma intensidade. Foi assustador. Nessa hora até um ateu começa a rezar.

O melhor lugar que encontramos foi ficar dentro do carro e parados em um estacionamento. Tiramos nossas coisas do hotel e viemos para a casa de uma amiga pois ficar em casa é mais seguro que ficar no hotel.

O Japão inteiro ainda se encontra em estado de alerta. As autoridades estão avisando na tv que a qualquer momento pode vir um terremoto maior do que o que rolou. Tomara que eles estejam errados.

Fiquei sabendo que os canais brasileiros estão noticiando o ocorrido mas podem ter certeza que não dá pra ter noção de como estão as coisas por aqui. Fiquei muito feliz de ver que muitas pessoas nos mandaram mensagens positivas e nos desejando sorte mas ficamos chateados tamém com alguns humoristas, colegas de profissão fazendo piadas sobre tudo isso. Não estou dizendo que sou contra brincar com as situações mas é foda você ler piadas sobre uma situação que ainda não tem um final definido.Se tudo isso já tivesse passado, seria muito diferente. Poderíamos rir de tudo que passamos mas o problema é que isso ainda não terminou. Apesar de as coisas estarem melhorando, a qualquer momento pode mudar. É um roleta-russa. Realmente a falta de bom senso e a mediocridade de algumas pessoas nos chatearam muito.

Nesse momento, posso dizer que estamos bem. Estamos longe dos tsunamis e agora estão rolando terremotos leves. Longe da intensidade que abalou tudo aqui.





Bruna Surfistinha

28 02 2011

Ontem fui ao cinema com a Dani Calabresa e a Cláudia. Nós fomos no Cinemark ver o filme da Bruna Surfistinha. Antes de falar do filme, vou fazer umas considerações sobre o Cinemark.

A entrada do cinema já é cara mas o valor da pipoca do Cinemark é um absurdo! A pipoca é mais cara que a entrada do cinema. Onde já se viu isso? Pelo preço da pipoca, o milho só pode ser de ouro. Aposto que esse milho de ouro alimenta galinha da angola, perdiz, Luciana Gimenez. Mas convenhamos que ir no Cinemark e não comer pipoca é a mesma coisa que assistir Zorra Total e dar risada. Impossível!

A atendente pergunta: Manteiga senhor? Mas é claro minha filha! Pelo preço pode até deixar cair uns pelos desse seu bigode!

Daí você entra na sala do cinema com a pipoca e vem uma mensagem dizendo. “No Cinemark a pipoca é permitida” Ah, muito obrigado Cinemark. Pensei que teria que comer no saguão antes de entrar na sala. E outra pelo preço que estou pagando deveria ser permitido até enfiar o dedo no cú do lanterninha.

Mas vamos falar do filme. Os comentários que tenho a fazer é que a Débora Secco mandou bem demais no papel de Bruna Surfistinha e que ela é uma delícia. O peito dela não cai nem se ela plantar bananeira. No geral o filme é bem fraco mas na verdade a Débora Secco é o que fode!

Achei um absurdo pagar R$ 30 conto pra ver o filme sendo que por R$ 150 teria chance de comer a Bruna Surfistinha.

Pra quem sai do filme achando que a Bruna Surfistinha é gostosa igual a Débora Secco é só conferir a realidade abaixo:





Casamento Chique

27 02 2011

Muito provavelmente você já deve ter ido em um casamento chique. Quando me refiro a casamento chique, não tem noivo cortanto gravata pra fazer o recolhe pra tentar amenizar o prejuízo da festa, não tem nenhum convidado dançando com a gravata amarrada na testa e nenhum convidado enche os bolsos de bem-casado antes de ir embora.

Quando você entra em um casamento chique seu primeiro desconforto é sentar numa mesa cheia de talheres sendo que você nem sabe usar todo aquele aparato. Você se sente numa casa de swing, tem tantas opções pra se comer e você não sabe por onde começar.

O cardápio é tão chique que você nem sabe o que são os pratos. Quem saberia que “Batata do Deuses” seria uma mísera batata palha em forma de coração? Eu reparei que estavam servindo camarão e como gosto de frutos do mar, pedi esta opção. Quando digo que tinha camarão, era camarão mesmo e não aqueles pituzinhos que estamos acostumados a comer em José Menino. Era uns baita camarão pistola!

Assim que acabei de saborear o camarão, o garçon veio e me serviu um sorvete de limão. Nesse momento fiquei pensando: Puta merda, os noivos gastam uma nota nesse casamento e já estão servindo a sobremesa? Vendo minha cara de indagação, o garçon me disse que o sorvete de limão era para tirar o gosto do camarão.

Puta sacanagem! Nunca como camarão. Só sinto o gosto de camarão quando como Ebicen e agora tenho que ir embora com gosto de Frutare na boca?





Bando de Loko

22 02 2011

Ano passado eu fui dar uma entrevista para a Rádio Coringão e tive o prazer de reencontrar uma amiga que tinha estudado comigo na faculdade. Fazia muito tempo que não falava com ela. Foi uma coincidência eu ir dar entrevista numa rádio que ela trabalhava.

Voltamos a manter contato e ela me chamou para montar um programa de humor na Rádio Coringão e eu topei. Pra fazer esse projeto, além de mim e da Jú Chiaradia convidei o Fabiano Cambota e o Rogério Vilela.

O programa que montamos chama-se Bando de Loko e vai ao ar todas às segundas e quartas a partir das 15 horas na Rádio Coringão. A Rádio ainda está disponível apenas pela internet mas quem sabe em breve não pinta a Rádio Coringão na FM, vai saber?

Olha o logo do programa que o Vilela fez!





Brasília

22 02 2011

Estava fazendo uma faxina no meu computador e sempre quando faço isso encontro arquivos, vídeos e um monte de material que tinha esquecido que um dia existiu.

Um desses vídeos que achei foi uma viagem que eu, Luiz França, Hamachi, Cambota e Fabinho fizemos para Brasília. O vídeo é muito antigo, na época eu ainda fumava. Nessa época o Fabinho ainda tocava no Pedra Letícia e eu o via com mais frequência, agora que ele está tocando a vida lá em Caldas Novas faz tempo que não o vejo. Ele é daqueles amigos que gostaria de ver mais.

Nós fomos para Brasília para fazer um show de stand-up. O show foi horrível mas a viagem foi bem legal.

Pra variar rimos pá porra!





Opa…

22 02 2011

Opa,

Ontem de madrugada estava conversando com o Rogério Morgado no MSN e ele me perguntou se eu sabia fazer lay-outs para blog. Um tempo atrás eu tentei fazer um blog para mim e sempre tive dificuldade pois na época a maioria dos blogs usava a linguagem HTML para editar os lay-outs e eu não manjo nada disso.

Dai comecei a fuçar na internet e vi que tem blogs que são fáceis de editar, então comecei a fuçar para ajudar o Rogério e acabei criando um novo blog pra mim.

Gostei do resultado. O blog ficou simples, limpo e funcional.

É nóis!